Todo o apoio aos “vândalos” > Bruno Cava


Assuntos: , .



Por Bruno cava*

valdean bombeiros 2

Manifestação dos Bombeiros em Copacabana, Rio de Janeiro

Foto: Francisco Valdean

Estive hoje na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), onde se concentram os protestos contra a prisão de 439 bombeiros, no sábado passado. Vi um movimento propositivo, alegre, aberto e pacífico. Acamparam na praça e improvisaram um rancho. Havia bombeiros e familiares, e também muitos estudantes, simpatizantes e curiosos. Umas mil pessoas. Do outro lado da avenida, um cordão de policiais do choque, com ar distante.
Minha vontade era pedir a palavra para defender que o inimigo deles não era o bombeiro, — como o do bombeiro não era o policial. Que o inimigo é outro: um governo biopolítico, que controla a cidade para vendê-la o mais caro possível, que submete os pobres a um disciplinamento fascista disfarçado de “interesse público”. Tudo ao sabor de um amontoado de pretensões empresariais, imobiliárias e midiáticas, intimamente associadas ao blocão de poder que agrupa esferas municipal, estadual e federal.
Nesta metrópole, o “público” não passa de superestrutura do privado. As Olimpíadas elevaram o discurso do público a um patamar intocável, a um virtual Olimpo, de onde magnatas, mega-empreendedores e banqueiros redesenham o espaço público. Higienizam, removem populações inteiras, partilham os lucros bilionários e celebram o novo Rio, moderno, global e quadradinho. Nesse contexto, não adianta clamar por mais estado e menos impunidade. O controle dos cidadãos vem estruturado pelo sistema penal e a expropriação, pela prefeitura. É preciso ir além, pensar novos conceitos e novas narrativas, além do público e do privado; além da falsa alternativa: estado ou sociedade. Essas contradições não podem ser sintetizadas ou resolvidas, quando o sistema de exploração funciona precisamente a partir delas. A saída tem que vir de outro lugar. Talvez só deslizando dessa dialética, na práxis, como aconteceu em Tahrir e na Puerta del Sol, imaginando, e muito concretamente, uma outra coisa.

No Rio, vivemos uma situação tão grave que o discurso da ordem social e política está sendo utilizado até contra os agentes do próprio estado. Se militares estaduais são tratados à base de BOPE, imagine o leitor como tratam camelôs, sem tetos, sem terras, favelados e pobres em geral. É a doutrina do choque. Começou como tortura psiquiátrica, depois virou militar, então política, e agora chegou à minha linda e insubmissa cidade, como “choque de ordem”.

*Publicado em 7 de junho de 2011 em http://www.quadradodosloucos.com.br/1528/todo-o-apoio-aos-vandalos/



Comments are closed.




Editorial Universidade Nômade Edição Atual
Trânsitos Maquinações Edições Anteriores
Conexões Globais TV Global Sobre
Dossiê Galeria Contato
Licença Creative Commons
Os textos da Global Brasil estão sob uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Global Brasil é uma publicação da Rede Universidade Nômade
Global Brasil é a edição brasileira associada ao izle
Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da revista.