Archive for the ‘Conexões Globais’ Category


Comunicado de Túnis, 18 de maio de 2011

terça-feira, agosto 2nd, 2011

Tradução de Pedro B. Mendes

As delegações da Knowledge Liberation Front, Network Welcome to Europe and other activists of NoBorder, Revolte Soliplenum (de Göttingen, Alemanha), Afrique – Europe – Interact e ABCDS (de Oujda, Marrocos) têm colaborado em Túnis em iniciativas para realizar pesquisa militante neste complexo e fundamental laboratório político que se tornou a sociedade tunisina pós-insurrecional.
A base da nossa cooperação é a estratégia compartilhada de combinar as lutas pela livre circulação das pessoas e do conhecimento, a luta contra a mercantilização dos sistemas de educação, a precariedade e o regime de fronteiras nacionais. Esta iniciativa é acima de tudo uma declaração política: o espaço de luta e de transformação social é transnacional, continuamente marcado pela mobilidade do trabalho vivo e pelos conflitos relacionados a este processo. De fato, temos encontrado pessoas, grupos e ativistas envolvidos no movimento revolucionário, bem como aquelas voltadas às questões relacionadas à migração. (mais…)




Primavera em Milão > Andrea Fumagalli

terça-feira, agosto 2nd, 2011

Por Andrea Fumagalli | Tradução de Pedro B. Mendes

Na primeira semana de abril, a temperatura em Milão atingiu 32 graus, recorde histórico dos últimos 50 anos. Ardia a primavera, embora, na realidade, na cidade, o aumento da temperatura tenha começado já no outono anterior, com a invenção dos Estados Gerais da Precariedade, e o início de um processo de análise, contínuo e estrito, sobre a condição precária. O mito do Mayday (tornado ritual) se põe em movimento dez anos após seu nascimento. Ainda no outono foi lançada a primeira edição dos Quaderni di San Precario [Cadernos de São Precário], instrumento essencial para a construção de um ponto de vista precário, resultado da colaboração entre as diversas experiências metropolitanas do Norte da Itália colocadas em prática pelos movimentos dos últimos meses (da luta sobre a questão dos contratos na fábrica da Fiat às batalhas contra o projeto de reforma Gelmini para as universidades). Já por ocasião da segunda edição dos Estados Gerais, em meados de janeiro, lançou-se a proposta de uma greve precária. (mais…)




Fios de nylon: do “não à guerra” ao movimento 15-M

terça-feira, agosto 2nd, 2011

Fonte: http://madrilonia.org | Tradução de Pedro B. Mendes

Tradicionalmente, a memória das lutas dos trabalhadores, responsável pela conquista de muitos dos direitos que ora vem sendo tirados, assume uma perspectiva histórica por meio de narrativas que permitem unificar em sentido progressivo os ciclos de luta. Ao se fazer isso é bastante comum recorrer à metáfora da trama dos fios preto (no caso das lutas autônomas ou anarquistas) e vermelho (no caso dos comunistas), que se refere ao fundo de continuidade dessas lutas por todas essas décadas.
Atualmente, ao passo que cada evento é apresentado como um acontecimento único (frágil, fugaz ou pura moda mesmo) vale a pena tentar seguir esses fios, por mais precária que essa tentativa possa ser, já que eles nos permitem alcançar a lógica que há muito orienta os diferentes processos. É isto que acontece com o Movimento 15-M, o qual, apesar de muitos de seus membros não terem feito parte de manifestações como o ‘Não à guerra’, ‘13-M’ ou ‘V de Vivienda’, suas mobilizações e práticas são reproduzidas em discursos que reverberam, como os próprios slogans, entre eles. (mais…)




A Espanha rebelde, por Antonio Negri

terça-feira, agosto 2nd, 2011

De dentro das praças e acampamentos, filósofo e militante italiano discute formas de organização, demandas e perspectivas do movimento na Espanha

Por Antonio Negri | Tradução de Bruno Cava

Na última semana, estive na Espanha a trabalho. Estive naturalmente envolvido com os “indignados”: atravessei algumas praças e acampamentos, questionei e discuti com muitos companheiros. Quem são os “indignados”? Não pretendo responder — há dezenas de narrativas facilmente encontráveis sobre isso. Relato aqui somente alguns apontamentos.
Democracia Real Ya nasceu dois meses antes do 15 de maio. É uma associação de militantes digitais, menos radicais, porém mais eficazes que o grupo Anonymous. Já havia movimentos desde janeiro de 2011 contra a Lei Sinde, que pune a pirataria na Internet; e articularam um discurso e uma luta contra a assinatura daquele acordo entre PP e PSOE (direita e esquerda), que viabilizara essa lei, promovida inclusive pelo vice-presidente americano. Em conseqüência, a associação incita à recusa do voto: “no les votes!”, e desenvolve um discurso sobre o sistema representativo espanhol, contra o bipartidarismo, com a exigência de uma nova lei eleitoral proporcional, dirigida a favorecer o pluralismo e a equidade. (mais…)




Sol, ou quando o impossível virou imparável > Marta Malo

terça-feira, agosto 2nd, 2011

Marta Malo
(Madrilonia, Madrid, Espanha)

Escrever para orientar-se, à velocidade que o momento impõe. Entre a poética e a teoria, escrever para oferecer algo à co-fabulação do mundo, para contribuir, de dentro, para criar a praça, para prolongar o evento que Sol é. Porque, sim, Sol foi um evento: desses acontecimentos inesperados que redesenham o mapa e reabrem o horizonte do possível.

Na manifestação do 15 de maio, feliz da vida com o tamanho da manifestação e a atmosfera nova, uma Radio Mobile Unit entrevistou alguns dos presentes. “Como lhe parece o futuro?”. Apesar da energia circulante, muitos dos entrevistados estavam declaradamente pessimistas: “Parece sombrio.” Na 2ª-feira, quando notícias sobre o acampamento em Sol começaram a pipocar como pólvora nas redes sociais, alguém escreveu numa lista para trocar bens e serviços: “O que importa que alguns estejam acampando, enquanto os outros estão na loja ao lado, comprando?” Importa, porque não era um simples acampamento: o gesto claro de uns poucos se tornou sinal para os muitos: “é agora, ou nunca”. E a fome de fazer soltou-se, a fome de falar. (mais…)




Continuamos aqui – Arte e Política (Cyrille Larpenteur, Xelo Bosch)

quinta-feira, novembro 25th, 2010

Cyrille Larpenteur e Xelo Bosch

Todos os espanhóis tem direito de desfrutar de moradia digna e adequada. Os poderes públicos promoverão as condições necessárias e estabelecerão as normas pertinentes para tornar efetivo esse direito por meio da regularização do solo de acordo com o interesse geral para impedir a especulação.
Artigo 47 da Constituição Espanhola (mais…)




Os Roms, uma população desconhecida e perseguida (Olivier Borus)

quinta-feira, novembro 25th, 2010

Olivier Borius

O verão 2010 francês se tornou finalmente muito quente. Não pelas temperaturas, mas pelas polêmicas nacionais e internacionais que o Presidente Nicolas Sarkozy gerou com seu discurso dito de Grenoble1.  O discurso é na verdade uma declaração de guerra, com um tom e uma retórica que não é sem lembrar Sergio Cabral e os moradores das favelas, contra os traficantes e os voyous2.  Esse discurso constitui agora uma marca no mandato dele. Terá um antes e um depois o discurso de Grenoble. (mais…)




Significaciones de un hecho político inesperado (Mario Santucho)

quinta-feira, novembro 25th, 2010

Por Mario Antonio Santucho

1.      Vale la pena retener las primeras impresiones que tuvimos tras la muerte de Néstor Kirchner: incertidumbre sobre el destino del proceso político iniciado hace casi ya una década. Duda y perplejidad, seguidos por el dolor ante la pérdida de una figura singular. Era sabido que el ex presidente se movía al borde del abismo. Tan sabido como impensable que lo pudieran parar. El desenlace fue un cuerpo colapsado por la desmesura de estímulos y problemáticas que circulaban en torno y a través de él. (mais…)




Momento crítico da transição do Estado Plurinacional (Oscar Vega)

quinta-feira, novembro 25th, 2010

Oscar Vega Camacho

O processo de mudança que o país vive está frente a um momento crítico, não é o primeiro nem será o último, porque é parte de um processo social que deve atravessar diferentes etapas e ciclos que modificam as correlações de força existentes e, consequentemente, configurando cenários, atores e situações que desenvolvem ou dão vida às ações e tonalidades do conflito e do desacordo que amarra o fato político. Portanto, falar de um momento crítico é sobretudo salientar a urgência e a responsabilidade que pressupõe entender a condição política e os atos políticos. (mais…)




Somos todos clandestinos (Francesco Raparelli)

segunda-feira, maio 24th, 2010

Francesco Raparelli

Somos todos clandestinos. Somos todos antirracistas, e não se trata de retórica de solidariedade. A crise e seus efeitos cada vez mais concretos não fazem mais que escancarar a caixa de Pandora.  De migrantes expulsos a fuzilados – porque escravizá-los não funciona mais – aos mestres deixados em casa porque são muitos, aos precários que veem se esfumaçar qualquer possibilidade de obter uma renda, aos estudantes que veem se esvanecer qualquer possibilidade de um futuro digno. Somos muitos, muitos mesmo, nas escolas e nos postos de trabalho, e qualquer um pode ser descartado. Assim, nos tornamos clandestinos, chantageáveis, perigosos, devendo ser divididos, postos em competição, por não sermos confiáveis. Nós não pagaremos pela crise. (mais…)







Editorial Universidade Nômade Edição Atual
Trânsitos Maquinações Edições Anteriores
Conexões Globais TV Global Sobre
Dossiê Galeria Contato
Licença Creative Commons
Os textos da Global Brasil estão sob uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não Adaptada.
Global Brasil é uma publicação da Rede Universidade Nômade
Global Brasil é a edição brasileira associada ao izle
Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da revista.